Publicado em: 21 de julho de 2014

advogada_asilo_uruguaiUma das 23 ativistas acusadas de atos violentos em protestos no Rio de Janeiro pediu asilo político ao Uruguai. A advogada Eloísa Samy está no Consulado-Geral do país vizinho no Rio e divulgou um vídeo afirmando sofrer perseguição política.

Investigada pela Operação Firewall, da Polícia Civil, Eloísa teve sua prisão preventiva decretada pela 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, na última sexta-feira (18). Ela é acusada de  associação criminosa junto a outros 22  ativistas.

No vídeo, divulgado pela Mídia Ninja, a advogada se declara inocente e acusa o Estado brasileiro de cometer ilegalidades. “Hoje sou uma perseguida política, sendo criminalizada pela minha atuação na defesa dos direitos de manifestação. Fui denunciada pelo crime de formação de quadrilha armada com outras 22 pessoas, algumas das quais sequer conhecia”, afirma.

“Jamais cometi qualquer ato que infringisse a lei. Mas estou sendo vítima das forças coercivas do Estado exatamente por defender pessoas que se ergueram e foram às ruas para protestar contra as ilegalidades cometidas por ele próprio. Quem atua na ilegalidade é o Estado”, continua a advogada.

Ainda segundo a Mídia Ninja, policiais militares estão cercando a área do Consulado Geral do Uruguai, na zona sul do Rio.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou, no último domingo (20), o pedido de habeas corpus de 23 ativistas acusados pelo Ministério Público de planejar “ações violentas em protestos”. Ainda de acordo com a denúncia, eles teriam planejado “incendiar a Câmara Municipal do Rio”.

Os parlamentares Ivan Valente (PSOL-RJ), Chico Alencar (PSOL-RJ), Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ) classificaram a ação como “arbitrária”, e afirmaram que o documento entregue pelo MP “não tem provas”.

Eloísa Samy é advogada membro da OAB/RJ, estudou Especialização em Direito Civil e Processo Civil na Universidade Estácio de Sá. Esteve presente durante inúmeras manifestações no Rio de Janeiro atuando na defesa de ativistas.

Assista ao depoimento de Eloísa Samy:

Com informações da Revista Fórum e Rede Brasil Atual