Publicado em: 28 de novembro de 2017

O Brechó Ecosolidário acontece anualmente e possibilita que pessoas troquem seus objetos antigos entre si

Por Felipe Sakamoto, do Observatório

Criado em 2010, o Brechó EcoSolidário se inspirou no evento francês Dialogues en Humanité, realizado desde 2002, em Lyon, com o objetivo de debater sobre inovações na sociedade a partir dos desafios ambientais, econômicos e espirituais. A prática se multiplicou e hoje acontece em cidades da Alemanha, Índia e Marrocos.

No Brasil, o Brechó acontece anualmente no Parque da Cidade, em Salvador, e oferece aos participantes a oportunidade de praticar o consumo sustentável e consciente trocando seus objetos usados por objetos usados de outras pessoas por meio da moeda social ”grão”. A negociação funciona da seguinte forma: os produtos são trocados pelos grãos nos postos de troca. Se um objeto não é mais útil, então vale um grão, podendo ser trocado por roupas, livros e outros.

Além disso, é realizado um mercado de produtos oriundos de cooperativas, apresentações de música e dança, atividades de educação ambiental, aulas de ioga, biodança, dentre outras ações.  O Brechó EcoSolidário promove a disseminação de práticas alternativas de consumo. Na edição de 2016, 5 mil bens encontraram novos/as donos/as, 200 pessoas voluntárias, 30 empreendimentos participaram da feira de economia solidária e 20 instituições contribuíram de alguma forma. O evento é coordenado pela Associação REDE e sua realização é autogestionada.

(Foto: Caetano Costa)