Publicado em: 12 de setembro de 2018

Após inauguração de lojas em Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre, o Armazém do Campo atenderá também os cariocas

Jaqueline Deister, do Brasil de Fato

A busca por uma alimentação saudável e sem veneno tem crescido entre os brasileiros. No entanto, o Brasil permanece ocupando o posto de maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Dados da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) apontam que cada pessoa consome uma média de 7,3 litros de pesticida agrícola por ano.

Os números são preocupantes e mostram a urgência em implementar técnicas de plantio que reduzam o uso do agrotóxico. Os alimentos livres de veneno e agroecológicos são uma realidade nos assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST). O MST mostrou que é possível investir na produção em larga escala sem o uso do agrotóxico, o movimento lidera a produção de arroz orgânico na América Latina, no ano passado o MST produziu 27 mil toneladas do cereal no país.

Pensando em escoar a produção dos assentamentos e democratizar o acesso da população aos alimentos orgânicos, o movimento, que já realiza feiras urbanas, começou a investir em estabelecimentos de comercialização nos grandes centros, os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são alguns exemplos.

No próximo sábado (15), chegou a vez do Rio de Janeiro. O movimento inaugura o Armazém do Campo RJ. A iniciativa, junto com o espaço de comercialização Terra Crioula e o Raízes do Brasil, é mais uma opção de comida saudável para os cariocas. Ângela Bernardino compõe a equipe de coordenação do Armazém. Ela explica que o objetivo do espaço é valorizar a cultura camponesa e escoar os alimentos da reforma agrária.

“Nós temos mais de cem cooperativas em nossos assentamentos que produzem esses alimentos. A proposta é escoar os produtos, porque o MST produzia e vendia para o mercado tradicional, agora temos um espaço fixo. Aqui comercializaremos alimentos dos nossos assentamentos da Baixada Fluminense, Região dos Lagos e a prioridade são dos assentamentos do MST, da reforma agrária, da agricultura familiar, quilombolas, ribeirinhos”, destaca.

Cultura 

Além da comercialização de produtos da reforma agrária, o Armazém do Campo RJ contará também com atividades culturais semanais e espaço para palestra. Maria Souto, da Primavera das Mulheres, ressalta que o espaço será importante para o fortalecimento da cultura local.

“O Armazém do Campo será importante para a divulgação do trabalho do MST e também para tecer redes e encontros com outros movimentos sociais e culturais da cidade”, afirma.

A inauguração do Armazém do Campo RJ acontece no próximo sábado (15), a partir das 10h.  O espaço fica na rua Mem. de Sá, 135, na Lapa. Mais informações na página do Facebook Armazém do Campo RJ e pelo Instagram @armazemdocampo.rio.

(Foto: Jaqueline Deister)