Publicado em: 19 de novembro de 2018

‘É o primeiro ato voltado a causa racial após o resultado das eleições e é importante que tenha muita gente para marcar posição’, diz Beatriz Lourenço, militante da UNEAfro

Por Marina Lourenço, do blog Negro Belchior 

A 15º edição da Marcha da Consciência Negra ocorrerá na próxima terça-feira (20), em São Paulo, com a intenção de relembrar a importância e relevância de datas e lutas diárias contra o racismo. Apresentações musicais, dançarinos, performers, entre outros grupos estarão presentes ajudando a fortalecer o sentimento da resistência preta brasileira.

“É o primeiro ato voltado a causa racial após o resultado das eleições e é importante que tenha muita gente para marcar posição. Se por um lado há o governo de Bolsonaro, por outro há uma grande organização negra consciente de que o racismo existe e precisa ser combatido”, diz Beatriz Lourenço, militante da União de Núcleos de Educação Popular para negras e negros (UNEAFRO).

Para a bióloga Maria Menezes, militante do Núcleo de Consciência Negra na USP, “o encarceramento em massa, genocídio da juventude negra, desemprego e aumento da mortalidade infantil são preocupações fundamentais do movimento negro brasileiro.”

Veja a seguir a descrição da página do evento:

XV MARCHA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Dia 20/11, concentração às 13h, no Vão Livre do MASP.

Negros e Negras resistem e marcham por direitos, pela democracia e contra o fascismo.
MARCHAM pelo Poder para o Povo Preto
MARCHAM pela Liberdade de expressão e a Liberdade Religiosa
MARCHAM por Marielle, Anderson, Moa do Catende e Charlione Lessa
MARCHAM por Marcelo Dias, por cada jovem negro morto pelo genocídio e por cada Mulher Negra morta pelo feminicídio
MARCHAM contra a Homofobia, contra todas as formas de Violência, contra a Intolerância ,o Descaso e a Xenofobia
NEGROS e NEGRAS MARCHAM pelo direito a viver uma vida digna, sermos livres e respeitados na nossa Diversidade, Pluralidade.

(Foto: Reprodução)