Publicado em: 7 de agosto de 2018

Esse tipo de ação leva para a mesa do povo produtos sem agrotóxico, de primeiríssima qualidade, que respeita o meio ambiente

Por Ana Paula Ramos Carnahiba, no CEBs do Brasil

A gente vive a essência da casa comum é nos pequenos gestos. E muitas vezes, na própria casa. Pensando assim, é que a Coordenação de CEBs (Comunidades Eclesiais de Base do Brasil) da Diocese de Iguatu e a Cáritas Diocesana da mesma cidade, no Ceará, desenvolvem projetos de agricultura familiar em forma de quintais produtivos.

Esse tipo de ação leva para a mesa do povo produtos sem agrotóxico, de primeiríssima qualidade, que respeita o meio ambiente.

Destacamos como bons exemplos dessa iniciativa a Comunidade Gameleira e a Comunidade Mamoeiro-Cariús, ambas em Iguatu. A primeira celebrou o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora Rural, 25 de julho, fazendo quintal produtivo com apoio do pessoal das CEBs e da Cáritas. Neste local o processo está no começo.

E no dia 26 houve visita à Comunidade Mamoeiro-Cariús, considerada modelo pela Cáritas em relação aos quintais produtivos. Uma das casas em que houve a implantação do projeto foi a da professora Otacília. Ela lembrou das pessoas que ajudaram na ideia e destacou os benefícios proporcionados.

“Quero agradecer a Coordenação de CEBs Diocesana nas pessoas do Félix e da irmã Ilza e à Cáritas nas pessoas da Mara e do Vilmar, pelo trabalho desenvolvido no meu quintal. Trabalho de muito significado e incentivo, demostrando que quando se tem força de vontade e compromisso as coisas acontecem. No Nordeste tudo é possível de acordo com nossa realidade”, comentou a Otacília.

Pois, como profetizou o padre Cícero Romão, é preciso “orar e trabalhar”.

Ressaltamos também o apoio do bispo dom Edson, e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) de Iguatu.

(Foto: Equipe de Comunicação de CEBs de Iguatu – CE)