Publicado em: 3 de setembro de 2019

A iniciativa foi pensada frente à crença de que a produção e disseminação de conhecimento sobre o tema é essencial para a promoção, diversificação e qualificação do campo

Por GIFE

Fevereiro marcou o lançamento da série Artigos GIFE. Nessa edição, os artigos foram selecionados pela primeira chamada de artigos , lançada em julho de 2018.

Na ocasião, o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas convidou estudantes de mestrado e doutorado, pesquisadores e professores de qualquer área de conhecimento para submeter textos sobre investimento social privado (ISP) e organizações da sociedade civil (OSCs).

A iniciativa foi pensada frente à crença de que a produção e disseminação de conhecimento sobre o tema é essencial para a promoção, diversificação e qualificação do campo. Graziela Santiago, coordenadora de conhecimento do GIFE, defende que à medida que há mais informação de qualidade disponível, o campo experimenta uma melhoria como um todo, uma vez que o conhecimento produzido serve para subsidiar e qualificar as ações de cada organização.

Além disso, os Artigos GIFE tem o objetivo de promover uma conexão do setor com outros atores, como a academia, e incentivá-los a produzir conhecimento sobre o campo, de forma a possibilitar um debate mais diverso sobre os temas e a ampliação de leituras e análises existentes.

Seleção das produções

Para participar da seleção, os artigos precisaram seguir algumas determinações. Os textos deveriam se enquadrar em pelo menos um dos 16 temas pré-determinados, entre eles diversidade no ISP; governança e transparência; avaliação e impacto do ISP; atuação em rede; fortalecimento e sustentabilidade das OSCs, alinhamento do ISP com as políticas públicas; fronteiras e desafios para expansão da filantropia e do ISP no Brasil, entre outros.

Além disso, o conteúdo deveria utilizar dados de ao menos uma das seguintes pesquisas: Censo GIFE 2016, Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC), Pesquisa Doação Brasil e Perfil das Organizações da Sociedade Civil no Brasil.

No total, o GIFE recebeu 25 artigos e seu comitê editorial selecionou 12 semifinalistas. Uma comissão formada por quatro integrantes – Ana Lúcia D’Império Lima, Aron Belinky, Beatriz Azeredo e Paula Galeano – ficou responsável por avaliar as 12 produções no formato blind-review de acordo com os critérios: afinidade e relevância do tema para o campo do investimento social privado e das organizações da sociedade civil; capacidade de reflexão crítica; consistência teórico-metodológica; pertinência e atualidade da bibliografia/fundamentação teórica; clareza e fundamentação na exposição do objeto de estudo e na argumentação dos resultados; rigor na utilização dos conceitos; pertinência e correção de dados estatísticos e caráter inovador da abordagem e da contribuição.

Agenda de publicação

As produções selecionadas têm origem em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná e abordam uma gama diversificada de temas. A intenção do GIFE é seguir uma agenda de publicações mensais. O artigo de estreia de Mário Aquino Alves e Andrea Pineda tem como tema a diversidade na educação ao abordar O valor das diferenças no Investimento Social Privado em educação.

O artigo de março – Governança de recursos compensatórios: os desafios para a construção do fundo J&F de Michael de Freitas Mohallem e Isabel Veloso – irá debater governança e investimento não voluntário. Em seguida, abril apresenta as desigualdades salariais no campo das OSCs com o artigo O trabalho das mulheres nas organizações sociais no Brasil: desigualdades e paradoxos, escrito por Graciela Hopstein e Martina Davidson.

O quarto artigo – Investimento Social Privado e Negócios de Impacto: possibilidades de apoio ao setor de impacto no Brasil de Ana Luiza Terra Costa Mathias e Paula Santana Santos  será publicado em maio. O quinto aponta Percepções e experiências dos gestores públicos ao alinhamento do investimento social privado às políticas públicas e foi escrito por Beatriz Caroline Silvestre dos Santos e Patricia Maria E. de Mendonça.

Por fim, a publicação que encerra a série, escrita por Patricia Del Claro, tem como título O papel das Redes Temáticas na formulação de agendas: um estudo sobre a prorrogação do PRONON.

Além das divulgações mensais, os seis textos irão compor um compilado que será lançado em julho, mês que marca a publicação do último artigo.

primeiro artigo já está no ar na SINAPSE, biblioteca virtual do GIFE, onde serão publicados também os demais e a publicação completa. A partir dessa primeira edição a série se propõe a ser contínua estimulando, ampliando e disseminando a produção de conhecimento qualificado sobre o campo da filantropia, do investimento social privado e da sociedade civil no Brasil.

(Foto: Reprodução)