Publicado em: 10 de novembro de 2014

Evento pretende refletir inviabilização das condições de vida pela continuidade e aprofundamento do desenvolvimento de tipo produtivista-consumista

O que deveria ser interrompido, mudado ou como deveria ser estruturada a produção de energia no País? Existem, atualmente, experiências de organização, de formas de produção sustentáveis que atendem às necessidades da população sem depredar a natureza e “envenenar” seus/suas habitantes? Dito de outra forma: existem outros caminhos possíveis? Essas e outras questões são motivadoras do seminário “Novos modelos de desenvolvimento e caminhos para a convivência socioambiental”, que acontecerá no dia 11 de novembro, em Recife (PE).

O evento é uma iniciativa da Abong – Organizações em Defesa dos Direitos e Bens Comuns e do Observatório da Sociedade Civil com apoio da Fundação Ford, cujo objetivo é fomentar uma reflexão coletiva em torno do desafio posto à humanidade: como preservar as condições de vida que estão sendo inviabilizadas pela continuidade e aprofundamento do desenvolvimento de tipo produtivista-consumista.

Nós temos um país com riquezas naturais invejáveis, dotado de uma enorme biodiversidade, com terra agricultável em quantidade e uma imensidão de trabalhadores/as dispostos/as. Somos banhados pelo sol o ano todo, 13,8% da água doce do mundo está contida em nosso território e temos ventos. Nossa matriz energética, no entanto, vai na contramão das preocupações inerentes ao desafio acima exposto.

A concepção atual é insustentável e precisamos construir um outro paradigma, no qual seja possível atender às necessidades dos seres humanos respeitando os bens naturais e os limites do planeta.

O evento contará com três mesas temáticas“Para além do desenvolvimento”“A questão da energia no Brasil de hoje” e “Sustentabilidade na prática”. A programação completa do seminário será divulgada em breve.

A programação completa do seminário pode ser acessada aqui!

As inscrições podem ser feitas aqui!

Sobre a Abong

Somos uma associação nacional criada em 1991 com o objetivo de fortalecer as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) brasileira que defendem direitos e bens comuns. Trabalhamos em parceria com movimentos sociais e dialogamos com governos por um mundo sustentável, com igualdade de direitos e livre de todas as formas de discriminação. Entendemos que, na formulação e no monitoramento das políticas públicas, a participação de todos/as é fundamental.

Sobre o Observatório da Sociedade Civil

O Observatório da Sociedade Civil é um projeto que visa promover um ambiente mais favorável para a atuação das Organizações da Sociedade Civil, entidades fundamentais para a democracia brasileira ao promoverem a participação da população e o controle social das políticas públicas. Para esse fim, desenvolve atividades que visam aumentar a visibilidade das organizações, informando a população e qualificando o debate a respeito do tema, com especial atenção à mídia.