Publicado em: 5 de novembro de 2018

A manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet é o assunto que a organização da prova deste ano escolheu para os estudantes inscritos

Por Rede Brasil Atual

Assim como nas eleições presidenciais deste ano, que elegeram Jair Bolsonaro (PSL), o controle de dados pela internet terá papel fundamental também no resultado da edição 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, realizado neste domingo (4) em todo o país.

O tema escolhido pelos organizadores para a redação é a manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet. Na disputa, a disseminação de notícias falsas pelo WhatsApp e pelas redes sociais no ambiente da internet, paga com recursos de empresários – o que configura caixa 2 –, foi determinante no resultado eleitoral.

Além do texto dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, os estudantes responderão questões nas áreas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias. No total são 90 questões de múltipla escolha.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, a redação é um texto no qual o estudante tem de apresentar argumentos para justificar a defesa de seu ponto de vista. Por isso, são exigidas competências para dissertar sobre um assunto proposto, descrevendo-o com explicações para tentar convencer o leitor dos argumentos apresentados.

As provas começaram às 13h30 e os participantes terão 5 horas de 30 minutos para resolvê-las. Aqueles com direito a tempo adicional e que solicitaram o recurso durante a inscrição terão uma hora a mais. Deficientes auditivos e surdos que optaram fazer a videoprova traduzida em libras terão duas horas a mais de prova.

(Foto: Arquivo/Governo Federal)