Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

O lançamento do documento aconteceu na Câmara Municipal do Rio de Janeiro junto à comemoração dos 20 anos da organização feminista

Por Kaique Santos, do Observatório

Foi lançado na quarta-feira passada (03), na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, o dossiê Retrocessos em Tramitação, que trata da análise de projetos de lei em tramitação nas Casas Legislativas Estadual, Municipal e Federal que geram retrocessos nos direitos das mulheres. O documento foi idealizado e produzido pela ONG feminista Casa da Mulher Trabalhadora (Camtra), que completou 20 anos de existência em abril. “Foi emocionante o evento de lançamento. Estamos sendo procuradas pela imprensa”, comemora Eleutéria Amora, coordenadora geral da Camtra e diretora executiva da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong).

>> Confira a entrevista da redatora do dossiê ao Brasil de Fato

O evento contou com uma mesa de debate composta por quatro mulheres: a militante feminista e colaboradora da Camtra Amanda Mendonça; a antropóloga e ativista feminista integrante da Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) Liliane Brum; a vereadora feminista da Câmara Municipal do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL); e a ativista negra e colaboradora racial da Camtra Vilma Piedade. Eleutéria comemora ainda a presença de representantes de diversas entidades e coletivos com “depoimentos maravilhosos” e salienta que o dossiê vai servir como material para a formação política de jovens e mulheres que a Camtra pretende realizar a partir do mês de junho.

(Foto Home: Kaique Santos)

What's your reaction?
0Sorrindo0Lol0Ual0Amei0Triste0Bravo

Deixe um comentário

Acesse o banco de Práticas Alternativas

Conheça experiências reais que unem a justiça social, radicalização da democracia e harmonia com o meio ambiente

Encontre o Observatório nas redes sociais
Assine e acompanhe o Observatório da Sociedade Civil

    Realização

    Apoio

    Apoio

    Apoio

    Apoio

    Copyright © 2022. Todos os direitos reservados à Abong.